Comentário do Domingo: V da Quaresma

29 de Março de 2020. 5º da Quaresma. Jo 11, 3-7.17-20.33b-45

O evangelho de João refere-nos hoje que Lázaro, amigo de Jesus, tinha ficado doente e que os apóstolos pediram a Jesus que o fosse curar. Jesus deixa ainda passar dois dias e, entretanto, Lázaro morre. Então Jesus decide partir ao seu encontro e sabe muito bem o que vai fazer: ‘Para que acrediteis’. Mediante as palavras de Jesus, o seu amigo Lázaro volta a viver (ou seja, ‘revive’, expressão que diz mais do que ‘ressuscita’).
Marta e Maria, irmãs de Lázaro, dirigem-se a Jesus, dizendo: “Se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido”. Jesus pede-lhes que tenham confiança e acreditem n’Ele. Assim, Lázaro regressa à vida. E muitos que estavam presentes, e tinham visto o que se passara, acreditam n’Ele também.
Em muitas ocasiões, podemos pensar: “Se Deus estivesse aqui …”. Surgem dúvidas, escasseia a esperança e, sobretudo, a confiança. Ora, Deus está sempre presente. E mais ainda, no momento presente, em que a doença está a grassar entre muitos conhecidos nossos. Nos tempos que correm, todos necessitamos de ouvir palavras de esperança e de vida, pois invade-nos a tentação do desânimo e da impotência, frente a um mundo que não parece ter futuro.
A mensagem deste domingo é verdadeiramente esperançosa. Jesus é o Senhor da Vida. Não obstante a cruz, vislumbra-se, cada vez mais próxima, a Ressurreição. Tanto para as demais pessoas, como para nós, que recebemos o seu Espírito de Vida.
É tempo de fazer florir a Esperança, de que ela impregne a nossa vida e de comuncarmos aos demais a coragem, a liberdade, a alegria e a vida. Não podemos continuar como se estivéssemos mortos: Jesus lança-nos a mesma interpelação que dirigiu a seu amigo Lázaro:
“Sai para fora!”.

Juan Ramón Gómez Pascual, cmf

0

Start typing and press Enter to search