Comentário do Domingo: Pentecostes

31 de Maio de 2020. PENTECOSTES Jo 20, 19-23

Todos nós construímos uma imagem de Deus. Idealizamo-l’O, com determinadas feições: um Senhor muito idoso, sereno e cheio de majestade, de barbas brancas, transpirando paz e bondade…
Mais fácil é traçar o retrato do Filho, pois Este assumiu um corpo como o nosso, em Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e nos confidenciou que o seu Pai era todo amor e misericórdia, que morreu cravado na cruz, ressuscitou e apareceu por diversas vezes aos seus amigos e àqueles que n’Ele confiavam. Era um jovem, de cerca de 30 anos, a quem as pessoas podem aplicar o rosto que mais lhes agrade.
E o Espírito Santo? Reduz-se apenas a uma pomba branca, que surge nalgumas ocasiões da vida de Jesus? Que sei eu, acerca d’Ele?
Ele é o amor de Deus, que atua em Maria e a torna Mãe. Que impele Jesus a doar-se até ao fim e, depois, o ressuscita dos mortos. É também a força, que Jesus comunica aos seus amigos, para que sejam continuadores da sua obra no mundo. É o impulso interior, que nos faz orar a Deus, buscar o bem e a paz, e amar os outros. É quem nos alerta, quando o espírito do mal nos assedia.
Recebemo-l’O, nos sacramentos. Celebramo-l’O, nesta solenidade do Pentecostes, e recordamo-l’O, nas palavras dos evangelistas.
Que o Espírito nos fortaleça e nos outorgue os seus dons, para sermos testemunhas autênticas do Ressuscitado. Feliz solenidade de Pentecostes!

Juan Ramón Gómez Pascual, cmf

0

Start typing and press Enter to search