Comentário do Domingo: Ascensão do Senhor

24 de Maio de 2020. 7º Domingo da Páscoa. A Ascensão do Senhor. Mt 28, 16-20

Durante algum tempo, o Senhor ressuscitado apareceu diversas vezes aos seus discípulos. Nesta solenidade da Ascensão, Jesus surge de novo, promete não os deixar sozinhos, entrega-lhes uma missão específica de uma missão e parte para o Céu, à vista deles.
É o momento da sua glorificação, de ficar junto do Pai, com plenos poderes sobre o céu e a terra. A partir de agora, Ele pode enviar-nos o seu Espírito. Voltará no final dos tempos.
A sua Ascensão é um mistério, que só podemos perceber, a partir da fé. Deus fá-l’O sentar, à sua direita, como reconhecimento por toda a obra que Ele levou a cabo. Findou o tempo da sua estada entre nós, mas Ele não nos abandonou. Inicia uma nova forma de presença entre nós: “Eu estou convosco todos os dias, até ao fim do mundo”. Assim poderemos cumprir os seus mandatos: “Tornai as pessoas meus discípulos, batizando-as e ensinando-lhes a cumprir tudo o que vos mandei…”.
Hoje é um dia de alegria, porque a Ascensão de Jesus representa a vitória de todos nós, que acreditamos n’Ele, pois partilhamos da sua divindade. É dia de esperança, porque onde Ele está, estaremos também nós, de acordo com a sua promessa: “Eu vou preparar-vos um lugar”. E é dia de compromisso, pois não é fácil ser suas testemunhas, num mundo que coloca tantos obstáculos aos crentes. Peçamos hoje, como São Paulo, que “nos conceda o seu Espírito para O conhecermos bem, e que ilumine os olhos do nosso coração, a fim compreendermos que esperança constitui o seu chamamento”.

Juan Ramón Gómez Pascual, cmf

0

Start typing and press Enter to search