Comentário do Domingo: 18 de Abril

Lucas 24, 35-48:

Domingo, 18 de Abril de 2021 (3º T P B)

 

Não são poucos os cristãos que, diante do acontecimento da Ressurreição do Senhor, levantam certas dúvidas e oferecem algumas opiniões que, a meu ver, não coincidem muito com o que podemos deduzir dos relatos evangélicos. Alguns são da opinião que não ressuscita o corpo, mas sim a alma. Outros que é simplesmente a alma, que não morre. Também há aqueles que falam melhor da reencarnação do que da ressurreição…

É possível que algumas coisas não as compreendamos bem: – ele aparece num lugar quando as portas estão fechadas; – num primeiro momento não o reconhecem, embora só tenham passado três dias; – nem todos o veem…

Mas há outros aspetos que o próprio Jesus deixa claros: – sou eu, não sou um fantasma…; – olhai os sinais dos pregos…; – Tocai-me e vede que tenho carne e ossos…; – Tendes aí algo para comer?; – vós sois testemunhas de tudo isto. E também lhes diz: tudo o que está escrito sobre mim na Lei e nos Profetas deve cumprir-se. Aquele que crê em mim não morrerá para sempre e eu o ressuscitarei no último dia…

Jesus torna-se presente no meio da comunidade. Esta é a realidade pascal vivida pelas primeiras testemunhas. E isto é o que nós temos de viver. A nossa tarefa como cristãos é torná-lo presente, e isto só é possível através do amor pelos outros.

 

Juan Ramón Gómez Pascual, cmf

 

0

Start typing and press Enter to search